sexta-feira, 29 de junho de 2012

Mutirão/EncontroOrionólpolis

 Opções no dia 30, sábado


30 de junho, sábado: Encontro na Orionópolis. Horário: 14h-16:30h. Tema: culturas e a revolução do olhar. (Prof. Jaci Gonçalves).


Oficinas: troca de experiências em  grupos interdisciplinares. 


Quem participa recebe 10 horas do art. 170 e PROAAC.


Local: Orionópolis Catarinense – R. Frederico Afonso, 5568 – Divisa Ponte do Maruim/São José. Croqui no site da obra http://www.orionopolis.org.br/localizacao

30 de junho, sábado. Mutirão Ecológico e Educacional na Aldeia Itaty do Morro dos Cavalos.


8:00 - Iniciaremos o dia com uma roda de rezo com os guarani e demais voluntários.


8:30 – breve reunião sobre a preparação guarani para o ENEM.
8:45 – Mutirão de limpeza nas áreas abandonadas (cortar gramas e plantas intrusas, recolher o lixo).
11:00 – Construção de horta, composteira, plantio de arvores frutíferas e fitoterápicas.
12:00 - Pausa para uma breve alimentação com rezo.
12:40- Continuação do plantio.
14:00 – Oficina de manejo de Bambu (Facilitador Gabriel Grigoleto).
15:00 – Caminhada pelas antigas trilhas sagradas no Morro dos Cavalos para ajudar na sua reabertura e revitalização.
17:30 -  Encerramento do Mutirão com Rezo.
Quem participa o dia todo recebe 18h do art. 170 e PROAAC. Meio-dia recebe 10 horas.
Se puder, quem for leve material apropriado, ferramentas e sacos plásticos grandes.




Mais uma opção:
Precisamos de professores voluntários para os aulões de preparação dos guarani para o ENEM.

sábado, 23 de junho de 2012

FIBRA LEVOU O TROFÉU DO FAM


Que alegria poder repetir essa crônica sobre o FIBRA que fizemos na pré-estréia em março. Agora ganhou o FAM. Parabéns! É a cultura das pessoas com necessidades especiais protagonizando sua própria história pelo veículo de jornalistas crítico-criativos. 
        FIBRA: protagonismo do cidadão        
                                                             Jaci Rocha Gonçalves

     Vibração máxima pela vitória do documentário Fibra ganhando o FAM em Floripa, dos jornalistas Fernando Evangelista e Juliana Kroeger da produtora Doc Dois. Especialmente para o Revitalizando Culturas que tem como uma de suas rotinas estimular o desenvolvimento da cultura das pessoas com deficiência, tanto mentais quanto físicas. Fibra é uma obra que faltava para mostrar aos contemporâneos que as pessoas com deficiência podem ser protagonistas daquele tripé fundante de toda a revitalização cultural:  a autoestima, a autossustentação e, especialmente, o exercício da autonomia. 

O documentário revela de um lado a sabedoria dessas pessoas e suas capacidades de autodeterminação e inventividade, ao mesmo tempo em que mostra o viés ético dos jornalistas. De fato, segundo declararam à imprensa, alegam que a partir de vivências e entrevistas com o grupo, perceberam o protagonismo daquelas pessoas com deficiência mental, mudaram totalmente o roteiro de Fibra. Assim, roteirizaram suas histórias de vida e de organização em vista de um desenvolvimento pleno de todas as suas capacidades. 

Dizia Proust que a revolução não está em criar algo de novo mas em revolucionar o nosso olhar para as mesmas realidades mas com uma nova ótica.
     
 Parabéns aos jornalistas que um dia estiveram também aqui em nossas salas de aula no campus Pedra Branca da Unisul. Esse tipo de jornalismo inscreve-se na linha pedagógica de educação libertadora de Paulo Freire quando falava que toda obra científica tem direito a ser biocrática. Fibra está nessa lista.




     Na foto: Juliana Kroeger e Fernando Evangelista. Produtores do FIBRA.